blogs

Efeito

Mel orgânico e mel comum: quais são as diferenças?

10/11/2020

Quando você está no supermercado, consegue diferenciar entre o mel orgânico e o mel comum? Apesar de serem muito parecidos, há diferenças fundamentais entre os dois tipos e elas são tanto físicas quanto composicionais. Por isso, é muito importante entender as particularidades de cada um deles para levar o melhor para a sua casa!

Pensando em ajudar nessa tarefa, explicamos abaixo tudo o que você precisa saber sobre o mel orgânico e o mel comum. Confira!

Diferenças entre mel orgânico e mel comum

Principal fonte de energia para as abelhas, o mel é produzido a partir do néctar de flores silvestres. As abelhas ingerem a substância, que é misturada a secreções nutritivas, e depois depositam o composto nas cavidades da colmeia. 

Na apicultura, todas essas etapas são administradas por profissionais, que acompanham o desenvolvimento das colmeias e depois extraem o mel para ser levado às fábricas ou unidades de referenciamento tecnológico, como é o caso da Beeva. É nesses processos que surgem as principais diferenças entre o tipo orgânico e o comum. Abaixo, listamos algumas!

Uso de produtos químicos

Nos apiários não-orgânicos, é comum a administração de doses de antibióticos para prevenção de doenças. Essa prática, no entanto, pode contaminar o produto final. Outros produtos químicos também são adicionados durante o processamento, com a intenção de aumentar a durabilidade. Como consequência, seu valor nutricional é afetado.

No caso dos produtos orgânicos, a ideia é manter o mel o mais natural possível. Logo, o uso de aditivos químicos é proibido. Inclusive, o apiário de origem deve estar longe da influência de agrotóxicos, já que as abelhas coletam materiais florais. Por isso, é exigida uma distância de três quilômetros de campos de agricultura convencional, no mínimo.

Alimentação artificial

Tentando manter uma produtividade constante das colmeias, muitos apicultores se valem de alimentação artificial, por meio de caldo de cana ou licores. A prática, no entanto, interfere na naturalidade do mel, influenciando em sua composição nutricional. Por isso, na Beeva somos contra a alimentação artificial das abelhas.

Aparência

Talvez seja difícil perceber se você não é um especialista em produtos apícolas, mas há diferenças físicas entre os dois tipos de mel. 

Por exemplo, o mel orgânico permanece cru e passa somente por um processo de filtragem de resíduos sólidos, feita em uma rede de pano ou nylon. Assim, são retirados pedaços de cera ou até mesmo abelhas mortas, mas suas propriedades físico-químicas não se alteram. Por causa disso, sua consistência é mais densa, granulada e cristalizada.

Já o mel comum passa por uma pasteurização, além da filtragem. Nesse procedimento, ele é submetido a altas temperaturas, com o intuito de retirar seu fermento natural e aumentar a sua durabilidade. Como consequência, ele ganha uma textura mais suave e uma aparência mais clara. Em contraponto, também perde nutrientes importantes, reduzindo os benefícios de seu consumo.

Como acabamos de mostrar, o mel orgânico é o tipo mais natural disponível no mercado. Ele passa por pouquíssimas intervenções humanas e garante um maior aproveitamento de seus nutrientes. Por isso, é muito mais benéfico para a saúde!

E agora que você já sabe as diferenças entre mel orgânico e mel comum, que tal descobrir os benefícios do consumo de mel? Confira nosso post!